Liturgia Diaria | Acompanhe a Liturgia
Buscar Liturgia:
Liturgia Diária05.02.2014
1º Leitura: Salmo: Evangelho:
2 Samuel 24,2-2 24,9-17 Salmos 31, 1 - 2 31, 5 - 5 31, 6 - 6 31, 7 - 7 Marcos 6,1-6
Dia: 05.02.2014
1º Leitura: 2 Samuel 24,2-2 24,9-17

SANTA ÁGUEDA
VIRGEM E MÁRTIR

(vermelho, pref. comum ou dos santos - ofício da memória)

Naqueles dias, 2Disse, pois, o rei a Joab e aos chefes do exército que estavam com ele: Percorrei todas as tribos de Israel, desde Dã até Bersabéia, e recenseai o povo, de maneira que eu saiba o seu número.9Joab entregou ao rei o resultado do recenseamento do povo: havia em Israel oitocentos mil homens de guerra, que manejavam a espada; e, em Judá, quinhentos mil homens.10Depois que foi recenseado o povo, Davi sentiu remorsos e disse ao Senhor: Cometi um grande pecado, fazendo isso. Mas agora apagai, ó Senhor, a culpa de vosso servo, porque procedi nesciamente.11Levantando-se Davi no dia seguinte, a palavra do Senhor foi dirigida ao profeta Gad, o vidente de Davi, nestes termos:12Vai dizer a Davi: Assim fala o Senhor: Proponho-te três coisas: - escolhe uma delas, e eu ta infligirei.13Gad veio ter com Davi e referiu-lhe estas palavras ajuntando: Preferes que venham sobre a tua terra sete anos de fome, ou que fujas durante três meses diante de teus inimigos que te perseguirão, ou que a peste assole a tua terra durante três dias? Reflete, pois, e vê o que devo responder a quem me enviou.14Davi respondeu a Gad: Estou em grande angústia. É melhor cairmos nas mãos do Senhor, cuja misericórdia é grande, do que cair nas mãos dos homens! E Davi escolheu a peste.15Mandou, pois, o Senhor a peste a Israel, desde a manhã daquele dia até o prazo marcado. Ora, foi nos dias da colheita do trigo que o flagelo começou no povo, e morreram setenta mil homens da população, desde Dã até Bersabéia.16a E o Senhor enviou um anjo sobre Jerusalém para destruí-la.17Vendo Davi o anjo que feria o povo, disse ao Senhor: Vede, Senhor: fui eu que pequei; eu é que sou o culpado! Esse pequeno rebanho, porém, que fez ele? Que a tua mão se abata sobre mim e sobre a minha família!
- Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: Salmos 31, 1 - 2 31, 5 - 5 31, 6 - 6 31, 7 - 7

Perdoai-me, Senhor, meu pecado!

1. Feliz o homem que foi perdoado / e cuja falta já foi encoberta! / Feliz o homem a quem o Senhor + não olha mais como sendo culpado, / e em cuja alma não há falsidade! -R.

2. Eu confessei, afinal, meu pecado, / e minha falta vos fiz conhecer. Disse: 'Eu irei confessar meu pecado!' / E perdoastes, Senhor, minha falta. -R.

3. Todo fiel pode, assim, invocar-vos, / durante o tempo da angústia e aflição, porque, ainda que irrompam as águas, / não poderão atingi-lo jamais. -R.

4. Sois para mim proteção e refúgio; / na minha angústia me haveis de salvar, / e envolvereis a minha alma no gozo / da salvação que me vem só de vós. -R.

Evangelho: Marcos 6,1-6

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo, segundo Marcos – Naquele tempo, 1Depois, ele partiu dali e foi para a sua pátria, seguido de seus discípulos. 2 Quando chegou o dia de sábado, começou a ensinar na sinagoga. Muitos o ouviam e, tomados de admiração, diziam: Donde lhe vem isso? Que sabedoria é essa que lhe foi dada, e como se operam por suas mãos tão grandes milagres?23Não é ele o carpinteiro, o filho de Maria, o irmão de Tiago, de José, de Judas e de Simão? Não vivem aqui entre nós também suas irmãs? E ficaram perplexos a seu respeito.4Mas Jesus disse-lhes: Um profeta só é desprezado na sua pátria, entre os seus parentes e na sua própria casa.5Não pôde fazer ali milagre algum. Curou apenas alguns poucos enfermos, impondo-lhes as mãos.6Admirava-se ele da desconfiança deles. E ensinando, percorria as aldeias circunvizinhas.
- Palavra da Salvação

Ver Liturgia de outras Datas

Evangelho
Lucas 16,19-31

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo, segundo Lucas – Naquele tempo, 19Havia um homem rico que se vestia de púrpura e linho finíssimo, e que todos os dias se banqueteava e se regalava.20Havia também um mendigo, por nome Lázaro, todo coberto de chagas, que estava deitado à porta do rico.21Ele avidamente desejava matar a fome com as migalhas que caíam da mesa do rico... Até os cães iam lamber-lhe as chagas.22Ora, aconteceu morrer o mendigo e ser levado pelos anjos ao seio de Abraão. Morreu também o rico e foi sepultado.23E estando ele nos tormentos do inferno, levantou os olhos e viu, ao longe, Abraão e Lázaro no seu seio.24Gritou, então: - Pai Abraão, compadece-te de mim e manda Lázaro que molhe em água a ponta de seu dedo, a fim de me refrescar a língua, pois sou cruelmente atormentado nestas chamas.25Abraão, porém, replicou: - Filho, lembra-te de que recebeste teus bens em vida, mas Lázaro, males; por isso ele agora aqui é consolado, mas tu estás em tormento.26Além de tudo, há entre nós e vós um grande abismo, de maneira que, os que querem passar daqui para vós, não o podem, nem os de lá passar para cá.27O rico disse: - Rogo-te então, pai, que mandes Lázaro à casa de meu pai, pois tenho cinco irmãos,28para lhes testemunhar, que não aconteça virem também eles parar neste lugar de tormentos.29Abraão respondeu: - Eles lá têm Moisés e os profetas; ouçam-nos!30O rico replicou: - Não, pai Abraão; mas se for a eles algum dos mortos, arrepender-se-ão.31Abraão respondeu-lhe: - Se não ouvirem a Moisés e aos profetas, tampouco se deixarão convencer, ainda que ressuscite algum dos mortos.
- Palavra da Salvação

Receba nossa newsletter

 

     

Banner

Banner

Catolicanet - Tel: 55 (0xx) 11 5660-6800
Atendimento disponível das 08:00 às 12:00 e das 13:00 às 17:00hs,
exceto Sábados, Domingos e Feriados.

Sobre a Catolicanet Imprensa Contato Política de Privacidade

2015 - Todos os direitos reservados - www.catolicanet.com.br Desenvolvido por: Grupo O.F.